domingo, 4 de junho de 2017

Canção da Indiferença - Alfredo de Cumplido de Sant'Anna




A vida passa,
leve
como a fumaça,
sem que possa
ao menos compreendê-la.
É um perfume subtil de magnólia,
cintilância indecisa de uma estrela,
um zumbido de vespa que esvoaça
em torno de uma flor
ou junto a um fruto.

É como um nome escrito sobre a areia
para viver o espaço de um minuto.
Aceitemo-la com indiferença,
como se olha a fumaça que se evola
ou se aspira o perfume de uma flor;
tal se escreve na areia um nome amado
porque se sente o amor.

Vivamo-la, pois, serenamente,
trazendo sempre a alma contente
e alegre o coração,
na certeza de que ela é transitória
e que sua glória
é como a glória
de uma bolha de sabão.

Não vale sentir tanta amargura
tanta tristeza
 e quanta desventura
a vida possa nos causar.

O que vale na vida indiferente
é o pouco que o acaso nos concede
nesse inclemente
desfiar das horas,
nessa fuga do tempo
que nos mata

lentamente...
impercetivelmente...
impercetivelmente...


Alfredo de Cumplido de Sant'Anna, in “Poemas e Legendas”

4 comentários:

  1. Muito linda,gostei bastante! bjs, lindo sai! chica

    ResponderEliminar
  2. Riquíssimo momento de leitura querida amiga, desejo-lhe um domingo muito abençoado, beijinhos no coração felicidades

    ResponderEliminar
  3. Olá Maria, Lindo post, já havia lido algo no Citador... Grata por compartilhar a prazerosa leitura.

    Desejo uma excelente semana cheinha de coisas boas.
    Se puder visite o novo blog.

    Bjs!

    http://experimentalailabrito.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.